Jornal Itapeva Times Polícia flagra transporte irregular de carne - Jornal Itapeva Times

Polícia flagra transporte irregular de carne

Josoel Borges 11 de julho de 2013
Polícia flagra transporte irregular de carne

Na manhã desta quinta- feira (11) um homem foi flagrado pela Polícia Rodoviária de Itapeva transportando carne irregularmente em um veículo de passeio.

Segundo informações uma Saveiro foi flagrada no radar inteligente, que apontou que o veículo estava com os documentos vencidos, diante da informação recebida os policiais ficaram aguardando o veículo, que não passou pela base. Desconfiando então que o condutor do carro teria pego o desvio que há logo a frente da base da polícia rodoviária os policiais foram patrulhar pelos arredores do local onde conseguiram localizar o veículo.

Ao abordar o carro os policiais encontraram na carroceria da Saveiro uma grande quantidade de carne bovina sendo transportada irregularmente, diante da situação, o carro e p condutor foram levados até a base da Polícia Rodoviária onde os agentes da Vigilância Sanitária também foram acionados para verificar a situação da carne encontrada.

Segundo os agentes no primeiro momento o motorista do veículo disse que estava levando a carne para fazer um churrasco com os amigos, porém em outro momento acabou dando outra versão, dizendo que a carne seria para sanar uma dívida que tinha.

Aparentemente a carne estava em bom estado, porém devido à forma como foi transportada e por não saber a procedência da mesma, os fiscais da Vigilância Sanitária destinaram a carne para ser descartada no aterro da Vila Santa Maria. Segundo os fiscais, a falta na higienização e o transporte indevido da mesma representam risco à saúde.

Segundo o veterinário da Vigilância Sanitária de Itapeva, Paulo Moacyr dos Santos, as pessoas devem ficar atentas quanto aos transportes de produtos vindo do meio rural. “Mesmo que o produto seja para consumo próprio, ele deve ser acompanhado por uma nota fiscal do produtor, se os produtos forem trazidos para os frigoríficos para abate deverá vir acompanhado de uma Guia de Transporte Animal (GTA) que é tirada na Secretaria Municipal de Agricultura”, disse o veterinário, que também informou que quando o produto é transportado com a finalidade de comércio ele não pode ser realizado em caminhonetes, vans ou carros normais, porém antes de qualquer comércio o produto deve ser fiscalizado pelos órgãos competentes.

Paulo disse ainda que, no caso desta manhã, as irregularidades encontradas colocam em risco a saúde pública. “A situação colocava em risco a saúde pública e pode ser punida até mesmo com reclusão da pessoa envolvida, a prática desta conduta determina até mesmo processo por conduzir o produto da maneira em que foi encontrado. É importante ressaltar que por a pessoa não apresentar notas e fazer o recolhimento cabe até um processo de evasão fiscal e recomendamos as pessoas que ao transportar esses alimentos, procurem os órgãos responsáveis para que não cometam esse tipo de irregularidade que pode acarretar em condução para o distrito policial e a apreensão dos produtos”.

O funcionário da Vigilância Sanitária disse ainda quais os perigos de consumir produtos que não foram fiscalizados. “Por essas carnes não terem sido passadas por nenhuma fiscalização não sabemos a procedência do produto, pode ser carne de animais que estavam em tratamento veterinário, com vermes ou poderiam estar até mesmo já mortos por algum outro motivo que não o abatimento para a produção de carne, então é importante que as pessoas não adquiram esses produtos e nem estabeleçam relação comercial com pessoas que fazem essa prática, os produtos quando transportados dessa maneira, ou serão apreendidos pela Polícia Rodoviária estadual e federal ou serão apreendidos pela Vigilância Sanitária”, concluiu Paulo Moacyr.

O veículo foi apreendido pela Polícia Rodoviária por estar com os documentos vencidos, já o motorista que não teve o nome divulgado prestou esclarecimentos na delegacia de polícia e foi liberado em seguida. A Polícia Civil irá investigar agora a procedência das carnes e o destino que ela teria.