Jornal Itapeva Times População reclama de obras feitas pela Sabesp - Jornal Itapeva Times

População reclama de obras feitas pela Sabesp

Josoel Borges 11 de setembro de 2013
População reclama de obras feitas pela Sabesp

Os transtornos causados pelas obras realizadas por empreiteiras ligadas a Sabesp em Itapeva vêm causando indignação da população de um modo geral.

As reclamações são as mais diversas possíveis, seja pela demora em arrumar uma via que foi danificada para serviços de reparo, a sujeira causada pela poeira deixada após a obra, o tipo de recapeamento feito e até mesmo os perigos que os buracos na rua trazem a população.

Em vários pontos da cidade é possível ver ruas danificadas pela empresa que realiza serviços para a Sabesp, onde após o término do mesmo a demora para arrumar o estrago feito dura semanas, a equipe do Itapeva Times  rodou pela cidade e pode flagrar em alguns pontos o transtorno causado por buracos na via pública, um desses buracos encontrava-se na Rua João Augusto Lico, próximo ao Mercado do Produtor onde os motoristas precisavam estar atentos ao buraco que tinha uma profundida considerável, presenciamos um motociclista que por pouco não caiu por não ter visto o buraco, pois estava atrás de um automóvel o que impossibilitou a visão do perigo iminente. No entanto fomos informados que horas depois de fotografarmos o local uma equipe da empresa responsável pelas obras em Itapeva esteve no local recapeando o asfalto.

Seguindo nesta linha, o material usado para o recapeamento das ruas também é outro assunto questionado, pois segundo os vereadores Oziel Pires (PTB) e Margarido (PV) o material usado para os reparos na rua são de baixa qualidade e diferente do que a prefeitura usa, para asfaltar ou fazer reparos nas vias públicas a prefeitura usa o chamado asfalto quente, enquanto isso o asfalto usado pela empreiteira da Sabesp é o chamado asfalto frio, segundo o vereador Margarido.

Outro problema que incomoda a população é a sujeira causada pelas obras, na Rua Capão Bonito e Rua Itapetininga flagramos comerciantes e moradores da localidade limpando as calçadas devido à poeira constante que acumula devido as obras realizadas e deixadas em aberto sem reparos, um dos comerciantes locais desabafou sobre o problema. “É uma vergonha o que acontece aqui, a Sabesp veio fez o serviço e abandonou a obra sem arrumar, agora chego aqui no meu estabelecimento e tenho que fazer uma limpeza geral toda a manhã porque não dá para manter nada limpo por muito tempo”, disse Pimenta, proprietário de um bar na Vila Bom Jesus. Já uma moradora próxima ao bar também se mostrou indignada e trouxe até nossa equipe um protetor de sujeiras da mangueira de sua maquina de lavar roupa, mostrando o quanto de sujeira acumula devido a poeira. “Fui lavar roupa e a água não saia então fui ver o que acontecia e verifiquei o protetor completamente entupido, as roupas não permanecem limpas, temos que limpar a calçada direto, pedem para economizar água, mas como economizar se a própria Sabesp nos obrigam a desperdiçar água?”, disse a moradora que não quis se identificar e logo em seguida lavou o protetor de sujeira para mostrar como ele é normalmente.

Já pela Rua Cézar Belézia no Parque Cimentolândia nossa equipe flagrou mais uma obra sendo iniciada pela empreiteira da Sabesp, as obras iniciaram-se nesta terça- feira (10), e iremos acompanhar o tempo que levarão para fazer o reparo após o término da mesma.

O vereador Oziel Pires já agendou uma reunião para a semana que vem com representantes da Sabesp e do Poder Público para saber o que está acontecendo, pois para o vereador os serviços prestados não estão dentro do que se espera da empresa. O Itapeva Times estará acompanhando de perto o desfecho desta situação, quem estiver fotos de algum lugar a mais onde as obras realizadas pela empresa estiver causando transtornos podem encaminhar para a nossa redação através do e-mail redacao@itapevatimes.com.br que estaremos encaminhando as fotos para o vereador Oziel Pires apresentar na reunião, devido a isso é importante que as fotos venham acompanhadas de dados como o local onde foi tirada, dia em que começou e que terminou a obra, e se ainda não houve reparo a quantos dias o local aguarda para ser arrumado.